Anti-idade com fitoterapia para o “Jovem eterno”

Por Päivi Linna, Licenciada em Medicina Chinesa, Fitoki Technician

Neste link irá encontrar o áudio (em espanhol) onde Païvi Linna faz-nos uma introdução geral sobre o envelhecimento, antes de entrar totalmente na parte mais relacionada com a TCM. Não o perca!

Do ponto de vista da Medicina Chinesa, as substâncias fundamentais começam a diminuir mais ou menos a partir dos 35 anos, principalmente a essência e o Rim. A idade exata depende de cada um e do seu estilo de vida. Como dizem as más-línguas: “Vive rapidamente, morre jovem e deixa um cadáver bonito” ou “sexo, drogas e rock&roll” e poderá gastar a essência assim que cumpra os vinte anos.

Nas mulheres, os primeiros sinais de envelhecimento são sentidos a partir da época da menopausa e especialmente em casos de menopausas precoces, que estão a aumentar e que de alguma forma poderíamos identificar como “envelhecimento precoce”.

Se queremos rejuvenescer, devemos nutrir muito o Rim e por muito tempo.

Exercício físico

Foi Hipócrates (400 A.C.), quem disse que o exercício é o melhor remédio para o homem. Desde então, esta mensagem tem-se perdido com o passar do tempo e olhamos para o sedentarismo da vida atual.

Todos temos ouvido comentários sobre dois velhos amigos que se encontram e um diz para o outro “meu Deus, continuas um jovem, não mudaste nada desde que nos conhecemos!”. Quem faz exercício sempre terá uma aparência mais jovem que uma pessoa sedentária. Não há nenhuma dúvida que a má vida tem impactos mais rápidos na cara e no corpo.

O exercício físico é benéfico para a saúde sempre e quando não ficamos obsessivos e exageramos na quantidade e no objetivo. Os excessos são sempre maus e o mesmo passa com o desporto. As exigências do desporto desgastam os tecidos e o organismo e criam a oxidação celular, sobretudo quando o cuidado da saúde do desportista não é a correta, quer dizer, a nutrição e os tempos do descanso e do sono não correspondem com o desgaste desportivo ocasionado.

O exercício pode provocar o atraso de algumas das mudanças que consideramos inevitáveis com o envelhecimento e também pode ajudar as pessoas com mais idade a recuperar a força, saúde e vitalidade. A atividade física regular e controlada também demonstrou ser a chave em muitos casos de obesidade, diabetes, colesterol, hipertensão e vários sintomas musculares e/ou ósseos.

Exercício físico

Benefícios de uma vida em movimento

Existem vários estudos que confirmam a rapidez com que pessoas sedentárias têm melhorado vários recursos depois de se inscreverem em qualquer programa de atividade física. Além disso, é inevitável fazer referência aos efeitos estéticos que o desporto pode gerar no corpo. O exercício físico tem muitos benefícios e não há evidências científicas que comprovem que o exercício reduz e previne as deficiências funcionais associadas com a idade. Colocamos uma listagem sobre os principais benefícios na prática da atividade física:

1. Tem um efeito anti envelhecimento ao nível das células.

2. O sistema imunológico das pessoas que praticam exercícios regularmente não parece envelhecer tão rápido quanto o de uma pessoa sedentária.
3. Aumenta o nível sanguíneo de HDL (colesterol bom)
4. Reduz os níveis de triglicéridos e LDL (colesterol ruim) no sangue.
5. Diminui a tensão arterial
6. Diminui a percentagem da gordura corporal.
7. Melhora a resposta da insulina e o metabolismo da glucose, melhorando a evolução dos diabetes tipo II.
8. Reduz as alterações metabólicas como os diabetes tipo II, a obesidade e o híper colesterol.
9. Melhora o VO2 Max.
10. Regenera a função pulmonar, pois aumenta a capacidade vital, o uso de oxigênio e aumenta a ventilação, a difusão e o transporte de oxigênio.
11. Renova a função cardíaca ao aumentar a força contráctil e o volume sistólico.
12. Aumenta o metabolismo do músculo esqueletal que aumenta o seu fluxo sanguíneo, melhorando o uso de O2 e da função mitocondrial.
13. Desenvolver a função do músculo-esquelético em resposta ao treino à resistência de aumentando a massa e a força muscular assim como a velocidade de contração e reduzindo o cansaço em atividades de vida diária: caminhar, subir escadas, fazer a compra, etc. Além disso, contribui para melhorar o rendimento e a mobilidade articular e torna-se ou mantem a eficácia dos reflexos implicados no controle postural.
14. Aumenta a densidade mineral óssea, por estimulação mecânica que pode inibir os osteoclastos e ativar a osteogênese.
15. Aumenta a oxigenação cerebral, que reforça a atividade intelectual
16. Melhora a função cognitiva e essencialmente os transtornos neurológicos.
17. Reduz o stress e aumenta a resistência às doenças psíquicas (depressão, ansiedade, neuroses, etc.).
18. Aumenta a resposta sexual melhorando a circulação.

Além destes efeitos benéficos físicos a nível orgânico, a atividade física oferece uma mudança substancial na vida de uma pessoa:

  • Melhor equilíbrio pessoal
  • Melhor humor e saúde
  • Mais agilidade em geral na vida
  • Aumento dos reflexos
  • Melhoria da qualidade de vida


Portanto, o exercício físico deveria ser pensado como uma terapia que nos ajuda a manter mais novos, e não como uma obrigação. Faz-nos sentir bem connosco, dá-nos agilidade e energia e a coisa boa é que nunca é demasiado tarde para começar! Além disso, hoje em dia pode-se praticar diferentes desportos e cada um pode escolher de qual gosta mais. Se a palavra desporto soa mal, vá dançar e vai perceber como tudo vai mudar na sua vida.

A alimentação e a nutrição

A alimentação e a nutrição

Nenhum alimento por si só tira as rugas e traz de volta a juventude. Mas uma dieta nutricionalmente equilibrada e de acordo com o nosso estado energético, melhora a qualidade da nossa pele e do nosso sistema imunológico, dá-nos energia desde o interior, ajuda-nos a reparar os danos celulares e protege-nos contra a oxidação celular, que é um dos responsáveis pelos efeitos negativos do envelhecimento.

A alimentação e a nutrição são duas coisas que se movem muito de moda. Todos os anos dizem e contradizem novos aspetos sobre a alimentação e a nutrição. Às vezes é difícil seguir as recomendações corretas, ter o máximo de informações, muitas vezes tão contraditórias e manipuladas pelos interesses das empresas do setor.

O melhor conselho, na minha opinião, é o senso comum:

1. Comer o mais simples possível
2. Eliminar os alimentos processados da dieta?
3. Não comer fora de casa todos os dias
4. Escolher alimentos de época
5. Aprender a conhecer o seu organismo e o que lhe faz sentir melhor
6. Reduzir ou eliminar da sua dieta as farinhas brancas refinadas, o açúcar (branco e louro também) e os produtos lácteos
7. Não comer carne vermelha todos os dias e isso não significa que um tenha de se tornar vegetariano!
8. Se se decidir começar a seguir alguma dieta específica como pode ser a vegetariana ou a vegan ou a paleo etc. é necessário consultar um profissional a melhor maneira de a fazer ou no mínimo investigar como se deve fazer a dieta e não começar a seguir algo, que faz um conhecido, sem realmente saber no que consiste e que consequências terão
9. Comer o mais variado quanto possível e tentar comer alimentos de época
10 No comer comidas frias da natureza, (não frias de temperatura)
11. Evitar saltar comidas
12. Não comer muito tarde de noite

A partir daqui as dietas começam a personalizar-se. O que vai bem com uma pessoa pode ser que seja o indicado para outra. Cada um tem o seu estado energético e tende para um polo mais de Yin ou Yang, e os alimentos têm também a sua energia, como por exemplo no caso das diferentes formas de cozinhar. E aí é onde está a graça da boa dieta energética: escolher os alimentos de acordo ao nosso estado energético e cozinhá-los da forma mais indicada para nós.

Os superalimentos estão agora na moda. Muitos alimentos, ervas ou substâncias com um valor nutritivo ou densidade de nutrientes muito altas, que já existem há milhares de anos, tornaram-se “superalimentos” e são essenciais para a nossa saúde e a dieta moderna. Não quer dizer que muitos destes alimentos ou substâncias não sejam bons para a nossa saúde, mas às vezes, devido à comercialização, a mensagem é um pouco torcida. Não são a panaceia, mas concordo que podem ser um benefício enorme para a nossa saúde. Embora, simplesmente para tomar vários “superalimentos” ao dia não torne a nossa dieta saudável, é necessário ter mais coisas em conta, assim que não acredite em tudo o que é dito e é anunciado nas revistas ou na televisão!

Se olharmos mais substâncias próprias da fitoterapia chinesa poderiam nomear-se os seguintes com poderes de superalimento:

Top 10 superalimentos chineses, (Andrews, 2013)

1. Long Yan Rou
2. Gou Qi Zi, (bagas de Goji)
3. Sang Shen Zi, (amoras)
4. Hei Zhi Ma, (sementes de sesamo negro)
5. Da Zao, (tâmara chinesa)
6. Shan Yao, (inhame chinês)
7. Cogumelos como Ling Zhi (reishi), Hei Mu Er e Bai Mu Er, Dong Chong Xia Cao (cordyceps)
8. Mel, própolis, geleia real
9. Alimentos com colágeno: caldo de ossos, pézinhos de porco e patas de galinha
10. Feijões: azukis (vermelho), feijão negro e branco

Outras substâncias da fitoterapia chinesa, conhecidas pela sua capacidade de embelezamento são: Ren Shen (ginseng), Wu Wei Zi (fruto de Schisandra), He Shou Wu (polygonum), Tu SI Zi (sementes Dodder), Dang Dui (raiz de Angélica) e Huang Qi (raiz de Astragalus).

Fazer uma pausa

relax

Respirar é muito mais que levar oxigénio aos pulmões e eliminar dióxido de carbono. A inalação/inspiração oxigena cada célula do nosso corpo e a expiração, desintoxica o nosso organismo.

Muitas pessoas não sabem respirar corretamente e a sua respiração é muito superficial o que origina que os tecidos não recebam oxigénio suficiente. Que juntamente com o stress que vivemos todos os dias, produz grande desgaste do corpo e desequilíbrios, bem como nas nossas emoções.

Deixe-nos recordar que o Qi ou a energia circulam no nosso organismo e nos meridianos graças ao nosso coração que continua a bater e os nossos tecidos e órgãos permanecem nutridos como resultado de:

  • o que comemos e como comemos = nutrição correta
  • o que respiramos e que respiramos = sistema respiratório
  • a energia nos nossos rins = genética e nosso modo de vida


No tempo atual podemos encontrar diversas técnicas diferentes onde respirar pode ser praticado e melhorado. Desde a medicina chinesa recomendamos principalmente a prática de qi cong o tai chi. Pessoalmente, sou um apaixonado com a prática de gyrokinesis e gyrotonic onde os princípios do tai chi, yoga, kundalini e a natação e onde ao mesmo tempo trabalha-se, a respiração, a flexibilidade e a mobilidade.

A respiração correta deve ser uma maneira lenta, regular e mais profunda além de mais consciente. Respirar profundo e consciente permite-nos estar e viver o presente, não o “antes” ou tampouco o “depois”, mas sim, o “agora”. Sempre podemos praticar a respiração fazendo uns simples exercícios de respiração em casa. Procurando por um momento tranquilo, fazer respirações profundas onde se possa inalar e expirar ciclicamente. Apenas alguns minutos e sentirá um efeito relaxante. Se praticar todos os dias, começará a perceber como a respiração, em geral, muda e o seu estado mental também se acalmará.

Sonhos Felizes

dormir

Tem-se ouvido às vezes que na China diz-se que se não vamos para a cama dormir antes das 22:00 “somos parvos”. Dormir bem é tão importante como ter uma boa dieta e nutrição, quer a nível físico quer psicológico. Qualquer pessoa ao chegar a velho começa a perceber que é difícil recuperar dos sobre esforços; viagens longas, tempos de estudo ou muito trabalho, competições desportivas etc. e que precisa de dormir mais horas do que antes para se sentir melhor. Dormir mal ou poucas horas tem consequências negativas sobre o corpo e o cérebro: vai afetar o nosso estado de espírito, a energia e a eficiência, somos menos capazes de suportar o stress, provoca cansaço, diminuição da concentração, irritabilidade e pode contribuir para a depressão e a ansiedade, etc. Com o tempo, além de favorecer o desenvolvimento de doenças, principalmente as crónicas, o aumento de peso e o envelhecimento precoce.

O corpo e o cérebro necessitam de suficientes horas de repouso para ser capaz de trabalhar num nível ideal. Entre as vinte e duas e as vinte e quatro horas são as horas de sono mais reparador, assim se quer manter um aspeto jovem, nada mais fácil do que dormir bem e na hora que toca.

Anti-aging Fitoki

O que Fitoki pode oferecer?

Se assumirmos a base que o envelhecimento é um processo natural onde o corpo começa a perder algumas substâncias fundamentais e capacidades, com Fitoki, podemos complementar as pessoas com:

Descàrrega aqui

Devemos aceitar que o processo de envelhecimento é inevitável. Talvez não possamos evitar ter rugas no rosto e cabelo branco mas manter um espírito jovem e um corpo flexível, sim, isso está nas nossas mãos.

Avaliação da pele

Em vez de comprar cremes anti envelhecimento, e se nós primeiro pararmos de fumar e começar a nutrir o nosso corpo mais e fazer respiração e meditações para acalmar as nossas mentes? Em vez de pagar operações estéticas para ter uma silhueta mais tonificada, por que não buscamos os ténis e sairmos para correr numa zona verde? Em vez de comprar alimentos de qualidade, por que gastamos dinheiro em suplementos sintéticos e nos intoxicamos ao invés de nos nutrirmos? Às vezes é difícil acreditar que a raça humana ainda não aprendeu a cuidar de si mesma. Tantos anos desenvolvendo tecnologia de alto nível, mas zero em crescimento pessoal e humano. Deveríamos ouvir como a sociedade e as empresas incutem-nos a melhor maneira de envelhecer para entender, uma vez por todas, que está nas nossas mãos como vivemos e como envelhecemos.

Bibliografia:
– Andrews, L., 7 Times a Woman – Ancient Wisdom on Health & Beauty for Every Stage of Your Life, Alcyone Press, San Diego, 2103
– Charrette, Mark, It´s the Fountain (Foundation) of the Youth – Helping patients to Overcome Objections to Exercise, (Internet), Acceso 04/09/2018. Disponible en https://www.acupuncturetoday.com/digital/index.php?i=727&a_id=33539&pn=12&r=t&Page=12
– Garay, C., Méndez, C., Richard, T., Sales, J., Compendio de Fitoterapia china, Fitoki, Cevagraf, 2010.
– Pozo-Cruz,J. et al.: “Physical activity affects plasma coenzyme Q10 levels differently in young and old humans”. Biogerontology, 2014.
– Sarmiento Ramos, L., Envejecimiento y actividad físico-deportiva (AFD), International Journal of Developmental and Educational Psychology, vol. 1, núm. 2, 2016, pp. 135-142.
– Singleton, T., Eating for a Restful Sleep- Regulating the Sleep/Wake Cycle With Nutrition, (Internet), Acceso 04/09/2018. Disponible en https://www.acupuncturetoday.com/digital/index.php?i=723&a_id=33483&pn=64&r=t&Page=64
– Velásquez, M., Prieto, B., & Contreras, R. E. (2004). El envejecimiento y los radicales libres. Ciencias, 75, 36-43.