Primavera e alergias

Primavera e alergias

Primavera e alergias. É primavera, tempo de alergias!

Primavera e alergias: flores, árvores, o cheiro da terra, a primavera chegou e alergias também! Você tem que ir lá fora, respirar e sentir a natureza, descobrir os cheiros, pular, cantar na floresta e deixar que a luz do sol nos aqueça. Primavera é tempo de expansão em todos os sentidos, é quando o corpo e a natureza começam a abrir-se energicamente.

O que acontece na primavera?

Enquanto o inverno foi um tempo de conservar a energia e reduzir a atividade, a primavera é o tempo de regeneração e novos começos. Na primavera há mais energia do que no inverno e os dias começam a ser iguais às noites. Yin, que chegou ao seu máximo no inverno e deixou-nos descansar, agora está esgotado e é o Yang que tem de assumir o controlo. O Yin máximo tem que se converter em Yang para atingir o seu pico no verão e é o que acontece na primavera…Yang está a acordar!

O período interestação de inverno para a primavera é um dos mais complicados. Durante o inverno o corpo mantém a sua energia e agora com a chegada da Primavera “acorda”. Isso faz com que reaja com hipersensibilidade às mudanças ambientais: pólen, poluição, poeira, etc.

A primavera é uma boa hora para dar uma olhada na nossa vida e nossos objetivos. É hora de tomar decisões. O que cada um planeou e que permaneceu dentro de si durante o inverno, na primavera há que se “plantar” para fazer as coisas acontecerem. Nós podemos florescer com a natureza!

De acordo com os 5 elementos, a teoria básica da medicina chinesa, a Primavera corresponde ao tempo de madeira que está relacionada com o fígado e vesícula biliar. O tempo de madeira representa o desenvolvimento de estruturas e o período de crescimento. As flores e as árvores florescem, a terra volta a ter cores e o vento move as sementes e renova o velho e traz ar fresco.

Começam as alergias

A primavera é um momento alegre, mas pode se tornar muito chata para muitas pessoas por causa das alergias. Como não somos parte isolada da natureza, somos afetados de forma enérgica pelas alterações de Yin e Yang que nos rodeiam. Na primavera percebemos isso quando o Qi vai começar a sair à superfície e com os desequilíbrios que o Yang nos desencadeia, especialmente no fígado. O fígado por sua natureza já tende a um excesso e particularmente excesso de Yang. Se anteriormente, existia um excesso de Yang, a manifestação de alergias pode ser maior na primavera.

Começam as alergias

Além disso, se o nosso sistema defensivo (Wei Qi) é fraco e não nos protege contra os fatores patogênicos (vento, frio, calor, humidade) e alérgenos (pólen e poeira etc.), estamos mais propensos a ter alergias e / ou resfriados.

É importante lembrar, que o “clima”, que corresponde a primavera, é o vento, um fator patogênico Yang que enfraquece o Wei Qi e permite a entrada de outros fatores patogênicos. Velhos ditados lembram-nos disso: março com muito vento e abril chuvoso fazem maio florido e bonito e até 30 de maio não pode tirar o casaco. Na primavera, deve se proteger para evitar que os efeitos do vento nos afete.

Os sintomas típicos de alergias na primavera são, por exemplo: olhos vermelhos e lacrimosos, nariz a escorrer, nariz entupido ou congestão nasal, espirros, irritação da pele. Além disso, há os problemas respiratórios devido a asma alérgica.

Os olhos são órgãos sensoriais e controlados pelo fígado. Portanto, não é nada estranho que os olhos na primavera possam ficar muito sensíveis e avermelhados, pois podem receber o Yang “extra” através de sua relação com o fígado e são expostos ao vento e os alérgenos que circulam no ar.

Prevenir alergias com Fitoki

A medicina chinesa vê as alergias como uma manifestação do vento que afeta a parte superior do corpo. Isso acontece quando o Wei Qi (energia defensiva) é fraca. Portanto, é normal que as pessoas com alergias tenham alguma debilidade.

O objetivo do tratamento com fitoterapia chinesa não é apenas tratar os sintomas, mas tonificar e fortalecer o corpo para lhe dar a capacidade de lutar contra os fatores patogénicos a coisa boa é que a medicina erval chinesa não gera efeitos colaterais, algo que pode acontecer com anti-histamínicos. A medicina erval chinesa não age sobre o sistema nervoso, nem produz sonolência ou boca seca, por exemplo.

Lembre-se que o ideal é fortalecer o Wei Qi uns meses antes do começo da temporada de alergias para evitar ter maiores sintomas. Fitoki recomenda o seguinte para as defesas:

Tabela Defensas

É importante lembrar que estas fórmulas são usadas entre outubro e fevereiro. Se as alergias são muito incômodas e agudas, é aconselhável iniciar o tratamento de Wei Qi em outubro, mas se são mais leves, é suficiente iniciar o tratamento em Dezembro para se preparar para a primavera. Se chegamos à Primavera e temos sintomas de alergia, não é mais hora para se tomar substâncias revigorantes ou imunes estimulantes. Devemos neste caso, fazer uso das substâncias dispersantes, que liberam a superfície, dispersam o vento-frio ou eliminam o calor ou ainda o fator patogênico que atualmente está nos incomodando.

Que Fórmula Fitoki pode usar em primavera e alergias?

As tabelas a seguir irão analisar possíveis síndromes, sintomas e a fitoterapia chinesa recomendada nos casos de rinite, sinusite, conjuntivite e asma causadas por alergia.

Rinite alérgica

rinite alérgica

A rinite alérgica é uma reação antígeno-anticorpo na mucosa nasal. Em outras palavras, é uma hiperatividade do sistema imunológico a certos alérgenos. É caracterizado por dois fatores: deficiência de Wei Qi de pulmão e rim e retenção de vento no nariz, como a asma alérgica. As principais manifestações são: congestão nasal, corrimento nasal aquoso e espirros. Em alguns casos afeta os olhos e a conjuntiva pode tornar-se pruriginosa e vermelha.

Às vezes a rinite alérgica é confundida com a sinusite / Bi Yuan:

Sinusite: Nariz a escorrer com uma secreção amarela, espessa, purulenta e mal cheio. = Infeção dos seios nasais

Rinite: congestão nasal, corrimento nasal aquoso e espirros.

Lembre-se que a rinite alérgica na primavera é uma forma aguda e além de tonificar, requer dispersão de fatores patogênicos. Após um tratamento sazonal quando os sintomas da alergia desaparecem, é hora de iniciar o tratamento a partir da raiz. Em casos de rinite alérgica permanente, nós podemos tratar as duas coisas ao mesmo tempo, (manifestação e raiz). No caso de rinite, é importante lembrar o tratamento de prevenção e especialmente durante o inverno, tonificar o Qi renal. Abaixo você encontrará a diferenciação de síndromes para rinite alérgica com suas fórmulas de fitoterapia.

Tabela para a RINITE ALÉRGICA

tablela rinitis

Sinusite alérgica

A doença de SINISITE na antiga categoria da medicina chinesa, é BI Yuan = estagnação no nariz e / ou NAO LOU = secreção do cérebro. Chamamos de “sinusite” secreções nasais que estagnam no nariz e nos seios paranasais, muitas vezes, pelas invasões do vento externo juntamente com frio ou calor, sendo mais calor mais predominante do que o frio. Esta estagnação a longo prazo pode se tornar Fleuma-Calor. As infeções dos senos nasais tendem a se tornar crônica por razões anatômicas.

Na rinite alérgica a secreção nasal é clara, aquosa e abundante, enquanto na sinusite densa, espessa e amarela e indica a presença de calor e muitas vezes de catarro. Lembramos também que a rinite alérgica pode criar uma sinusite secundária.

Tabela para a SINUSITE ALÉRGICA

Tabela Sinusitis

Conjuntivite alérgica

A conjuntivite é o edema (inflamação) ou infeção da membrana externa dos olhos ou conjuntiva. Uma das principais causas é a alergia ao pólen ou outras substâncias. Suas manifestações são geralmente: visão turva, dor nos olhos, sensação de areia nos olhos, crostas que se formam na pálpebra durante a noite, aumento de lacrimejamento, prurido nos olhos, olhos vermelhos e fotofobia (sensibilidade à luz).

Tabela para a CONJUNTIVITE ALÉRGICA

tabela conjuntivitis

Asma alérgica

A asma alérgica, seus sintomas e sinais costumam evoluir a partir de três características básicas: obstrução, Hipe resposta e inflamação das vias respiratórias.

No caso de asma não alérgica, há uma obstrução parcial e temporária do fluxo de ar no aparelho respiratório. O estreitamento brônquico na asma pode ser causado por três fatores principais: muco nos brônquios, inflamação das camadas internas dos brônquios e contração dos músculos que se apoiam nas paredes dos brônquios, que leva para o broncospasmo.

Desde o ponto de vista chinês, a contração dos músculos dos brônquios é devido ao Vento. No caso de asma alérgica, a contração dos músculos dos brônquios pode ser o único fator que causa estreitamento das vias respiratórias. Por outro lado na asma não-alérgica, há a produção de mucos e a inflamação das camadas internas. Na asma alérgica o broncospasmo é causado por uma reação alérgica devido à hipersensibilidade imunológica. A mucosidade é o resultado, mas não a causa da patologia.

Tabela para a ASMA ALÉRGICA

tabela asma

Amplie esta informação com vídeos AQUÍ

Para obter mais informações, podem consultar aqui o nosso artigo sobre “Como Tonificar o Wei Qi. Aumente as defesas do organismo”

Por Päivi Linna, Licenciada em Medicina Tradicional Chinesa pela Universidade de Gales, Técnico Fitoki.